CIRURGIA PARA AUMENTO DAS MAMAS / PRÓTESES DE MAMA – MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO

cir1

A Mamoplastia de Aumento tem como finalidade aumentar o tamanho das mamas através da aplicação de uma prótese. É muito procurada por mulheres que consideram o tamanho das suas mamas pequeno ou desproporcional ao seu corpo, mas também, para corrigir imperfeições entre a simetria, que pode ser o resultado de gravidez ou dietas. O resultado da cirurgia deve ser uma melhor harmonia entre o volume e a forma, bem como da sua suspensão.

Normalmente, as seguintes perguntas são feitas pelos(as) pacientes ao seu cirurgião plástico, por ocasião da consulta inicial:

A CIRURGIA DE AUMENTO DAS MAMAS DEIXA CICATRIZES?

Felizmente, esta cirurgia permite-nos colocar as cicatrizes bastante disfarçadas, o que é muito conveniente nos primeiros meses. Para melhor esclarecê-la sobre a evolução cicatricial, vamos relatar os diversos períodos pelos quais as cicatrizes infalivelmente passarão:

a- PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30ºdia e apresenta-se com aspecto pouco visível. Alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou ao curativo.

b- PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período há o espessamento natural da cicatriz, bem como inicia-se uma mudança de cor, da mesma, passando para mais escuro (do vermelho para o marrom) que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois, o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.

c- PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente, atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia, no tocante à cicatriz, deverá ser feita após este período.

ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES?

Alguns cirurgiões as situam no pólo inferior da mama e no sulco formado entre a mama e o tórax. Outros, na área da aréola, e até mesmo na axila. A escolha vai depender de algumas considerações técnicas associadas à escolha do paciente. Desde os primeiros dias pós-operatórios poderá ser usado um “decote bastante generoso”, pois, as cicatrizes ficam bastante disfarçadas. Com o decorrer do tempo as cicatrizes vão ficando ainda menos visíveis.

AS CICATRIZES SOMEM OU FICAM MUITO VISÍVEIS?

Cicatrizes são definitivas, nunca somem. Mas, ao longo do tempo, a sua grande maioria tende a ficar inaparente. Algumas pacientes, porém, têm tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Essa tendência poderá ser estimada até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe são feitas uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa, bem como a análise das características familiares e de cicatrizes prévias, que muito nos ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Entretanto, somente no decorrer da evolução pós-operatória pode-se ter a certeza da qualidade da cicatrização.

EXISTE CORREÇÃO PARA AS CICATRIZES HIPERTRÓFICAS E QUELÓIDES?

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, com a evolução natural do período mediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida com o seu cirurgião, que fará a avaliação do estado em que se encontra a cicatriz.

E ESTRIAS, PODEM APARECER?

Dependendo do tipo de pele do(a) paciente e do quanto essa pele se estica com a inclusão das próteses, podem aparecer, sim, estrias. Essas podem ser antigas, que não estavam sendo antes percebidas, ou novas. A hidratação da pele e acompanhamento dermatológico são eficazes na prevenção e tratamento dessa patologia.

ONDE SÃO COLOCADAS AS PRÓTESES?

Existem 2 planos principais de colocação dos implantes mamários, sendo ambos por baixo das mamas. O subglandular é aquele em que as próteses são colocadas logo abaixo do tecido mamário. O outro plano é chamado de submuscular, ou seja, abaixo do músculo peitoral, que, por sua vez, já se encontra por baixo do tecido glandular mamário. O seu cirurgião plástico deverá discutir as vantagens e desvantagens sobre cada plano com o paciente, e, após o devido exame físico, definir o mais indicado.

COMO FICARÃO MINHAS NOVAS MAMAS, EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA?

As mamas terão seu volume aumentado através da cirurgia, melhorando sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Atualmente, dispõe-se de vários tamanhos e diferentes formatos de implantes de silicone a serem introduzidos. Deverão ser mantidas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax de cada paciente, a fim de se obter uma maior harmonia estética. A mama, assim operada, passará por vários períodos evolutivos, até atingir seu resultado final que se dá até o 12o mês de pós-operatório. É importante salientar que as próteses não impedem, previnem, nem muito menos corrigem a queda das mamas, pelo contrário, dependendo do tipo de pele, o peso do implante pode até precipitar uma queda precoce.

EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

Apesar de o resultado imediato ser muito bom, somente após vários meses é que as mamas atingirão sua forma definitiva. Inicialmente as mamas tendem a ficar inchadas, arredondadas e com a pele firme. Após algumas semanas, à medida que o edema regride e o processo de cicatrização vai ficando mais estável, a pele e as mamas ficam mais móveis, e ocorre um processo de queda natural. A intensidade dessa queda vai depender de alguns fatores, como o tamanho final das mamas, constituição tecidual da glândula mamária e características da pele da paciente. Todo esse processo pode durar cerca de 12 meses.

MINHAS MAMAS VÃO FICAR IGUAIS?

Na grande maioria das pessoas, uma mama não é igual à outra. Até no tronco e no gradil costal podem existir diferenças que contribuem para uma assimetria nas mamas. Após a cirurgia de colocação de próteses de mamas, essas diferenças tendem a permanecer. Em alguns casos, as diferenças podem ser amenizadas com a colocação de próteses de tamanhos diferentes entre as mamas.

QUAL O TIPO DE MAIÔ DE BANHO QUE PODEREI USAR, APÓS A CIRURGIA?

No período imediato ou tardio, qualquer tipo de maiô, de 1 ou 2 peças, desde que a peça superior não fique muito justa. É claro que, após o amadurecimento das cicatrizes, os maiôs poderão ficar mais ao seu critério.

NO CASO DE GRAVIDEZ, O RESULTADO PERMANECERÁ OU FICARÁ PREJUDICADO? TEREI ALGUM PROBLEMA PARA AMAMENTAR?

Na gravidez ocorrem mudanças hormonais e corporais que podem acarretam em algum prejuízo do formato mamário, principalmente devido ao ganho de peso e amamentação. Uma boa resistência de sua pele é uma aliada na manutenção da forma mamária. Não há evidências científicas que mostram uma diminuição da probabilidade de amamentar em pacientes que realizaram cirurgias de aumento de mamas (sem remodelamento mamário, como suspensões e reduções).

O PÓS-OPERATÓRIO DESTA CIRURGIA É DOLOROSO?

Geralmente NÃO. Este pós-operatório é bastante confortável, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços, nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestação dolorosa, que facilmente cederá com os analgésicos receitados pelo seu médico. Evite a automedicação.

HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?

Raramente a cirurgia plástica de aumento mamário determina sérias complicações. desde que realizada dentro de critérios técnicos que asseguram a segurança do paciente. Para um procedimento ainda mais seguro, o cirurgião deve preparar criteriosamente e individualmente cada paciente para o ato operatório, além de ponderar sobre a conveniência da associação desta cirurgia a outras no mesmo ato operatório.

QUAL O TIPO DA ANESTESIA UTILIZADA?

Anestesia geralmente peridural ou geral, dependendo de critérios utilizados pelo anestesiologista e cirurgião.

QUANTO TEMPO DURA O ATO CIRÚRGICO?

Em média de 1 a 2 horas. Quando se associa a suspensão das mamas a cirurgia se prolonga para 2 a 4 horas. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

Varia de 12 a 24 horas.

SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?

Sim. Curativos elásticos e modelantes, especialmente adaptados a cada tipo de mama. São trocados diariamente pela própria paciente ou após a primeira revisão, sem qualquer dificuldade, a partir do 3º. ao 5º. dia de pós-operatório.

QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?

Os pontos geralmente são absorvíveis, não necessitando a retirada. Quando necessária, a retirada é realizada por volta do 14º. dia pós-operatório.

QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?

Dependendo do caso, até no dia seguinte à cirurgia. Tudo irá depender da evolução da sua cirurgia, assim como o tipo de curativos, observando-se apenas os cuidados especiais que serão ensinados pelo seu médico.

QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRlA?

Não se deve esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nas fases iniciais, em se deparar com um resultado ainda preliminar. É muito importante ter paciência, pois na grande maioria dos casos, o próprio organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que eventualmente chamarão a atenção. Escutar o cirurgião é fundamental para entender a evolução do processo cicatricial. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 9 aos 12 meses de pós-operatório.

QUANDO PODEREI RETORNAR AOS MEUS EXERCÍCIOS?

Depende do tipo de exercícios. Aqueles relativos aos membros inferiores poderão ser reiniciados entre 30 a 45 dias, evitando-se o “alto impacto”. Os exercícios que envolvam o tórax, ou mais especificamente o músculo peitoral geralmente devem aguardar além de 90 dias. Orientações sobre movimentos mais específicos deverão ser perguntadas ao seu cirurgião.

QUE VEM A SER O ENDURECIMENTO DAS MAMAS (RETRAÇÃO OU CONTRATURA DA CÁPSULA)?

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa normal (que se forma em torno do implante), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Alguns casos estão sujeitos a tal retração; entretanto, se isto ocorrer, esses implantes deverão ser retirados, através das mesmas cicatrizes. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outros, ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula do implante nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional atípico do organismo da própria paciente, secundário à presença dos mesmos. Não cabe ao cirurgião qualquer responsabilidade em gastos futuros com reintervenções que porventura sejam necessárias, decorrentes de retrações capsulares, endurecimento das mamas, rupturas tardias dos implantes ou seu eventual esvaziamento. Atualmente o número de retrações de cápsula diminuiu bastante, devido ao advento de inovações técnicas introduzidas na cirurgia plástica, principalmente no que se refere aos materiais de produção e revestimentos.

PODEREI FAZER MINHAS ULTRASSONOGRAFIAS E MAMOGRAFIAS APÓS O IMPLANTE?

Sim. Os exames de triagem para câncer de mama de rotina para qualquer pessoa poderão ser realizados sem prejuízo à visualização do tecido ou parênquima mamário. Porém é aconselhável que a paciente os realize em clínicas especializadas, com profissionais capacitados na área.

MINHA PRÓTESE TEM QUE SER TROCADA? E SE ELA ROMPER, O QUE OCORRE?

Geralmente não indicamos a troca dos implantes após um período pré-determinado. A tecnologia utilizada na fabricação dos implantes permite uma biocompatibilidade do material de silicone com o corpo humano, fazendo com que o período de duração de uma prótese seja bastante prolongado. A troca só é obrigatória em casos de complicações. Em casos de rompimento, que são bastante raros, o gel coesivo existente na prótese geralmente não se extravasa, ficando localizado no mesmo lugar. Há indicação de troca nesses casos.

Voltar
buy custom term paper