CIRURGIA PLÁSTICA ABDOMINAL – MINI-ABDOMINOPLASTIA OU MINI-DERMOLIPECTOMIA

cir1

A mini-abdominoplastia é uma plástica de abdome de características bem semelhantes à dermolipectomia abdominal convencional. Ambas são indicadas em casos de flacidez abdominal, cutânea (da pele) e muscular. A diferença básica está na quantidade de pele retirada, que no caso da “mini”, é de menor quantidade.

Normalmente, as seguintes perguntas são feitas pelos(as) pacientes ao seu cirurgião plástico, por ocasião da consulta inicial:

Como sei se o meu caso é uma convencional ou uma “mini”?

Seu cirurgião plástico, após avaliação das suas queixas, seus desejos, exame clínico do abdome e investigação sobre gestações prévias ou futuras, é quem vai definir o que será feito em seu caso. De uma forma geral, a mini-abdominoplastia é indicada em pacientes normais a magras, que ganharam pouco peso na gravidez e que voltaram a ter um abdome parecido com o anterior à gestação, mas que a pele e a musculatura ficaram um pouco flácidas, ou, às vezes, para pacientes com umbigo em posição mais alta no abdome. Não há pontos ou cicatrizes em torno do umbigo. Ele é solto, e refixado por dentro em uma posição geralmente abaixo da original, permitindo uma “esticada” menor da pele que está acima do umbigo em se comparando com a abdominoplastia convencional.

A cirurgia do mini-abdome deixa cicatriz muito visível?

A cicatriz resultante de uma mini-abdominoplastia é como um arco que se localiza logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo da quantidade de pele a ser corrigida. É uma cicatriz um pouco maior que a de uma cesárea. Ela é planejada para ficar disfarçada sob as roupas de banho (há casos, mesmo em que a própria “tanga” poderá ser usada), e infalivelmente passará por vários períodos de evolução.

Minha musculatura parece estar frouxa. o que pode ser feito para melhorar isso?

Na mini-abdominoplastia, assim como na dermolipectomia convencional, além da retirada de pele e gordura, pontos internos são dados apertando a frouxidão muscular que ocorre, não somente após gravidez, mas também em pacientes com maior sobrepeso ou que não realizam exercícios físicos. Dependendo do grau desse “aperto”, nos primeiros dias de pós operatório pode ocorrer uma certa dificuldade para respirar e para ficar com o tronco totalmente erguido. Mas isso é transitório e é aconselhável evitar movimentos que forcem esses pontos.

É verdade que será feito um novo umbigo? O umbigo fica feio?

Não, na mini-abdominoplastia não há pontos ou cicatriz em torno do umbigo. Porém, o formato do umbigo poderá se modificar, já que durante o procedimento ele é solto, e refixado por dentro em uma posição geralmente abaixo da original, tendendo assim a ficar mais verticalizado.

O que é a lipoaspiração associada? Quem precisa fazer a lipoaspiração?

Geralmente associamos a lipoaspiração, que se caracteriza pela retirada de excessos de tecido gorduroso, sendo indicada para melhorias do contorno corporal. É uma associação bastante comum e costuma-se chamar de lipoabdominoplastia. Entretanto, não é todo paciente que tem indicação de realizar esta associação, bem como não é todo cirurgião que realiza a lipoaspiração associada à abdominoplastia. Cabe ao paciente e seu cirurgião optar pela forma mais segura e eficaz a fim de se obter resultados satisfatórios. É importante lembrar que a lipoaspiração tem riscos específicos e prolonga o tempo anestésico e cirúrgico.

Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?

Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de edema (“inchaço”), que regride espontaneamente. Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 a 18 meses de pós-operatórios.

A mini-abdominoplastia corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago?

Às vezes, vai depender do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdome). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Sendo do tipo longo, o resultado será mais favorável. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste essa área do corpo. A associação de Lipoaspiração ao procedimento geralmente proporciona melhores resultados.

Quantos quilos vou emagrecer com a mini-abdominoplastia?

Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdome de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim a proporção que o abdome mantenha com o restante do tronco e os membros. Paradoxalmente, os abdomes que apresentam melhores resultados estéticos são justamente aqueles em que se fazem as menores retiradas. Assim acontece na maioria das mulheres que apresentam pequena “flacidez” do abdome após 1 ou mais partos, com mais sobra de pele do que de gordura no abdome. Estes casos nos permitem melhores resultados. Em outros casos, em que o paciente está com o peso acima do normal, o resultado também será compensatório e proporcional ao restante do corpo, e esse é um dos motivos que nos leva a insistir na perda de peso no pré-operatório.

Qual o tipo de maiô que poderei usar após a cirurgia?

O tipo de maiô dependerá exclusivamente de seu próprio manequim. É claro que os decotes inferiores mais “generosos” (tangas) ficarão por conta dos casos em que os resultados sejam mais naturais. Lembre-se que o bisturi do cirurgião apenas aprimora suas próprias formas, que poderão ser melhoradas ainda mais, com cuidados de uma esteticista ou fisioterapeuta, desde que se associem esses tratamentos complementares logo nas primeiras semanas após a cirurgia.

Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado?

Geralmente aconselhamos que a mulher tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma abdominoplastia, pois a gestação causa modificações na pele e na musculatura abdominal, fazendo com que haja perda de resultado ou surgimento de estrias. Porém há casos em que a flacidez do abdome já é importante, mesmo sem ter tido filhos. Nesses casos, a critério do cirurgião, sob responsabilidade compartilhada da paciente, a cirurgia poderá ser feita, não gerando prejuízos a uma futura gestação.

Ouvi dizer que o pós-operatório é muito doloroso. É verdade?

Normalmente não. Entretanto, por ser uma cirurgia que atua tanto na pele, quanto na musculatura do abdome, geralmente causa algum desconforto principalmente na primeira semana após a cirurgia, que são bem tolerados com medicações (analgésicos e anti-inflamatórios) de uso corriqueiro. As associações com outros procedimentos, como a lipoaspiração de abdome, por exemplo, podem acrescentar alguns inconvenientes relacionados com os mesmos.

Há perigo nesta operação?

A Abdominoplastia é uma cirurgia de risco bastante controlado, raramente trazendo sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos que asseguram a segurança do paciente. Para um procedimento ainda mais seguro, o cirurgião deve preparar criteriosamente e individualmente cada paciente para o ato operatório, além de ponderar sobre a conveniência da associação desta cirurgia a outras no mesmo ato operatório.

Que tipo de anestesia é utilizada para esta operação?

Geralmente peridural, podendo também ser realizada com anestesia geral, ou até mesmo raqui, a depender de critérios utilizados pelo anestesiologista e cirurgião.

Tenho que ficar com o corpo inclinado para frente após a cirurgia?

É interessante inclinar o corpo um pouco para frente caso sinta dor ou resistência para se esticar, durante os 10 a 14 primeiros dias de pós-operatório, para não forçar a cicatriz ou os pontos que foram dados na musculatura.

Utiliza dreno?

Geralmente sim. Tem finalidade de retirar excesso de líquido e monitorar sangramento pós operatório. Sua retirada depende da quantidade de líquido coletado diariamente, o que gira em torno de 7 a 10 dias.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

Em média 90 a 120 minutos. Este período poderá ser prolongado, se o caso demandar, como, por exemplo, quando se associa a Lipoaspiração. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Qual o período de internação?

Geralmente 24 horas (evolução normal). Em geral, a cirurgia é realizada no dia do internamento e a alta na manhã seguinte.

São utilizados curativos?

Sim. Curativos especiais, trocados periodicamente pela equipe do cirurgião. Modeladores (cintas) especiais compressivos também são utilizadas geralmente por um período médio de 90 dias.

QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?

A maioria dos pontos são absorvíveis, não necessitando retirada. Quando necessário, iniciamos a retirada em torno do 12º. dia, podendo ser feita de maneira seletiva, nos dias que se seguem. Raramente a retirada total ultrapassa 3 semanas.

QUANDO PODEREI TOMAR BANHO COMPLETO?

Geralmente após 2 a 3 dias.

O QUE É FIBROSE? SEMPRE OCORRE?

Alguns dias após o procedimento começa a surgir um processo natural de inchaço e cicatrização interna em todo o abdome, principalmente quando se associam as lipoaspirações, e que forma um “endurecimento” da pele, que é chamado de fibrose. É normal a ocorrência inicial de tecido fibrótico, porém a sua permanência por um tempo prolongado ou até definitivo não é desejável, pois pode causar dores crônicas e irregularidades. A fibrose normal pode passar então a ser uma fibrose anormal, ou patológica. Essa má evolução pode surgir de acordo com as características individuais da própria paciente, bem como decorrer de um pós-operatório mal conduzido, com drenagens linfáticas inadequadas ou incorreta utilização de modeladores.

QUAL A EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRlA?

Não se deve esquecer que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases são características deste tipo de cirurgia. Em algumas pacientes, ocorre uma certa ansiedade nas fases iniciais, em se deparar com um resultado ainda preliminar. É muito importante ter paciência, pois na grande maioria dos casos, o próprio organismo se encarregará de dissipar todos os pequenos transtornos intermediários que eventualmente chamarão a atenção. Escutar o cirurgião é fundamental para entender a evolução do processo cicatricial. Lembre-se que nenhum resultado deverá ser considerado como definitivo antes dos 9 aos 12 meses de pós-operatório.

O QUE POSSO FAZER PARA A MANUTENÇÃO OU ATÉ MELHORA DO MEU RESULTADO?

Condutas complementares em atividades físicas poderão melhorar bastante o resultado final, pois a modelagem muscular é um fator de grande importância no novo contorno corporal. Além disso, o controle do peso é fundamental para que não haja hipertrofia da gordura remanescente e conseqüente perda do resultado estético. Finalmente, a correção postural valoriza bastante a beleza corporal.

Voltar
custom term papers and essays