CIRURGIA PLÁSTICA DAS PÁLPEBRAS – BLEFAROPLASTIA

cir1

A cirurgia plástica das pálpebras corrige apenas os excessos de pele e gordura e flacidez muscular do território palpebral, podendo, em certos casos, melhorar também o aspecto funcional, além de estético. Tem como objetivo proporcionar aparência rejuvenescida na área ao redor dos olhos, fazendo com que o olhar pareça mais descansado e alerta. A cirurgia para rejuvenescimento dos olhos ainda conta com vários procedimentos adicionais, que podem ser ou não realizados em conjunto com a blefaroplastia, como a suspensão de supercílios, frontoplastia videoendoscópica, aplicação de toxina botulínica, etc.

Normalmente, as seguintes perguntas são feitas pelos(as) pacientes ao seu cirurgião plástico, por ocasião da consulta inicial:

QUAIS AS INDICAÇÕES PARA A CIRURGIA DAS PÁLPEBRAS?

As indicações geralmente são pele frouxa ou flacidez que cria dobras ou incomoda o contorno natural da pálpebra superior, às vezes, prejudicando a visão, Na pápebra inferior, excesso de pele, rugas ou bolsas que tornam muitas vezes o olhar cansado e envelhecido.

EXISTE UMA IDADE IDEAL PARA SE OPERAR AS PÁLPEBRAS?

Não existe uma idade ideal, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e geralmente ocorre após a terceira década.

AS CICATRIZES SÃO VISÍVEIS? ONDE SE LOCALIZAM?

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses), pois apesar de finas e escondidas, elas podem se apresentar avermelhadas por um período indeterminado. Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, poucas semanas após a cirurgia.

A AÇÃO SOLAR NAS CICATRIZES É PREJUDICIAL?

Sim. Não só a exposição direta, como a iluminação artificial pode ser prejudicial, podendo prolongar o clareamento cicatricial. Evitar essas exposições e o uso de protetores solares são métodos indicados para se atenuar essa reação.

QUAL O TIPO DE ANESTESIA?

Pela extensão da cirurgia e boa qualidade dos anestésicos, a maioria dos casos é operada sob sedação e anestesia local. Pode-se também ser realizada sob anestesia geral ou até mesmo local, dependendo das restrições e preferencias de cada paciente.

QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

Depende do tipo de anestesia, podendo ser 12 ou 24h de internamento.

QUANTO TEMPO DURA A CIRURGIA?

Normalmente, em torno de 90 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e sala de recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO?

Geralmente não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns. Seu médico lhe prescreverá aquele mais indicado.

OS OLHOS FICAM MUITO INCHADOS? POR QUANTO TEMPO?

O edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles(as) que após 1 semana já apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros existem que irão atingir este resultado após o 2 a 3 semanas. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existem maior “inchaço” das pálpebras. O uso de óculos escuros poderá ser útil nesta fase, assim como a utilização de compressas geladas diminui a intensidade do edema. Somente entre o 3º e o 6o mês é que poderemos dizer que o edema residual é discreto.

E POSSO USAR ÓCULOS ESCUROS?

Pode, sim. Os óculos podem ser úteis para disfarçar os olhos operados, para evitar a exposição das manchas e cicatrizes da ação solar, e também proteger os olhos que geralmente estão sensíveis à iluminação (fotossensibilidade).

O QUE SÃO AS “MANCHAS ROXAS OU AVERMELHADAS” OBSERVADAS EM CERTOS CASOS?

O termo técnico utilizado para esta evolução é equimose. Nada mais é do que a infiltração do sangue na pele subjacente, e mesmo na conjuntiva ocular (parte interna das pálpebras). É devida ao próprio trauma cirúrgico, e, em pequeno grau, não constitui qualquer problema futuro e não é considerada complicação, mas sim, uma intercorrência transitória e reversível. Sua coloração vai mudando com o decorrer dos dias de vermelho escuro ou vinho para vermelho claro, para esverdeado, e amarelado, até sumir definitivamente em torno de 2 a 3 semanas.

OS OLHOS FICARÃO OCLUÍDOS APÓS A CIRURGIA?

Não. Não há curativo ocluindo os olhos. O que se recomenda é uma cobertura ocular com gazes embebidas em soro ou chá de camomila gelado, durante os 3 primeiros dias. Este ato é realizado e controlado pelo(a) próprio(a) paciente, como profilaxia do edema acentuado e melhoria precoce das equimoses. Além disso, para proteção, serão utilizados colírio e pomada oftálmica.

O QUE PODE OCORRER DE INESPERADO QUE VENHA A PREJUDICAR O MEU RESULTADO?

As infiltrações de sangue citadas acima, quando em maior volume, podem ocasionar em coágulos internos chamados de hematomas. Esses hematomas podem causar uma cicatrização não desejável, levando ao surgimento de irregularidades crônicas (prolongadas). Picos de pressão elevada ou esforços físicos em tempo não recomendado podem acarretar nessa complicação, prejudicado o resultado.

QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

Geralmente a partir do 3º mês. Entretanto, no primeiro mês, com a regressão do edema e das equimoses, já podemos perceber uma melhoria importante de resultado.

AFINAL, O RESULTADO COMPENSA?

Se você está ciente do que deseja e o cirurgião puder lhe propiciar aquilo que você pediu, sem dúvida compensa. Entretanto, é importante levar em consideração o fato de que a cirurgia das pálpebras não proporciona rejuvenescimento geral à face, quando executada isoladamente. Muitas pacientes esperam este resultado (rejuvenescimento) apenas com a blefaroplastia. O cirurgião plástico apenas melhorará esse território prejudicado pelos defeitos estéticos aí pré-existentes. O rejuvenescimento da face implica em outras condutas associadas a blefaroplastia. Os “pés de galinha”, mesmo que devidamente operados, nunca desaparecerão, ficando ainda o estigma, devido à ação do músculo orbicular e à perda da elasticidade da pele remanescente.

O QUE POSSO FAZER PARA MELHORAR O RESULTADO DE MINHA CIRURGIA?

Como já dissemos, o rejuvenescimento facial envolve diversos procedimentos, cirúrgicos ou não. Rugas definitivas e de expressão podem ser atenuadas com a associação de preenchimentos e toxina botulínica. Cremes, ácidos e alguns tipos de peelings, ao mesmo tempo, podem valorizar o procedimento cirúrgico por melhorar a qualidade da pele, disfarçando os estigmas de envelhecimento facial. Acompanhamento pelo seu cirurgião, bem como por dermatologistas, devem ser indicados, a depender da necessidade.

Voltar
buy custom term paper